terça-feira, 18 de julho de 2017

Divagar ou Divulgar?

Sempre tive uma queda imensa por escrever (afinal, o que estaria fazendo aqui no Medium se assim não o fosse, não é?) Também sabemos que o hobby da escrita quase sempre vem associado ao da leitura. E eu até que me considero um bom leitor, embora ainda esteja longe, muito longe, de ler tudo àquilo que já me propus à ler (missão impossível).

Quando me perguntam quais os melhores livros que eu li, quase sempre me forço a relembrar os melhores romances, dos quais ora cito “A Montanha Mágica”, ora indico “Crime e Castigo”, ou então recomendo “Dom Quixote”. Mas eu preciso confessar que esses não são os meus livros favoritos. Bem, até são, dentro dos seus estilos. A verdade é que eu sempre fui apaixonado por outro tipo de leitura: divulgação científica.

Aí, fica fácil: “Um mundo assombrado pelos demônios”, “A grande história da Evolução”, “Dança do Universo”, “Bilhões e bilhões” ou “O Universo em numa casca de noz” saltariam aos olhos, com um grande e largo sorriso.

Desde o século passado, faço meus textos. Já tenho um blog (este!) há alguns anos, onde vez ou outra, assim como aqui, uso para extravasar meus sentimentos e para divagar um pouco sobre minha visão fenomenológica deste mundo.

Mas, há alguns meses, me perguntei: e porque não divulgar? Porque não partir pra uma área com a qual sempre me senti atraído? Mas a minha formação é direito… e direito é chato pra caramba. Ciência humana. Mas, bem, eu gosto de história. Curto antropologia e psicologia. É, até seria cabível. Ou não. Como saber? Só tentando.

Só escrevendo. Ou então… só gravando. Sim, gravando. Acho que a grande sacada da divulgação científica dos últimos anos é o Youtube. A quantidade de canais de divulgação científica (os quais, adivinha, são os que eu mais acompanho) que vem ganhando o público é cada vez mais crescente. Pirula ou Nerdologia, por exemplo. Então, porque não tentar?

Estou tentando. “Diretas de Direito”. Com o propósito de levar conteúdo jurídico à todos os públicos, de forma clara, concisa e com muita analogia (aproveita e se inscreve!) Agora é só ganhar intimidade com a 50mm e divulgar. E, de vez em quando, também divagar.